Friday, February 17, 2006

MORRESTE-ME

Morreste-me num
minuto breve

Extinguiste no ápice de um acto
aparentemente (in)ofensivo

Morreste-me por deixares de aqui estar.
Onde mais ninguém estava.

Vagaste um singular lugar
com esta partida.

Morreste-me por já não fazer sentido
sentir-te aqui!

Mas a partida deixou algo novo...
Tal Fénix a minha alma renasceu

Morreste-me para eu nascer de novo!

Waldir Araújo

1 comment:

Olho Atento said...

Visitei-te,
li-te.
Antes recebi-te
em minha caixa

Agora que partilhamos "ideais"
Eis-me aqui,
presente para te dizer:

Força e caminhe.

Soberano Canhanga